domingo, 17 de dezembro de 2017

NATAL


MENSAGEM DE NATAL

 *Papa Francisco

O Natal costuma ser sempre uma ruidosa festa; entretanto se faz necessário o silêncio, para que se consiga ouvir a voz do Amor.

      Natal é você, quando se dispõe, todos os dias, a renascer e deixar que Deus penetre em sua alma.

      O pinheiro de Natal é você, quando com sua força, resiste aos ventos e dificuldades da vida.

      Você é a decoração de Natal, quando suas virtudes são cores que enfeitam sua vida.

      Você é o sino de Natal, quando chama, congrega, reúne.

      A luz de Natal é você quando com uma vida de bondade, paciência, alegria e generosidade consegue ser luz a iluminar o caminho dos outros.

    Você é o anjo do Natal quando consegue entoar e cantar sua mensagem de paz, justiça e de amor.

    A estrela-guia do Natal é você, quando consegue levar alguém, ao encontro do Senhor.

    Você será os Reis Magos quando conseguir dar, de presente, o melhor de si, indistintamente a todos.

      A música de Natal é você, quando consegue também sua harmonia interior.

      O presente de Natal é você, quando consegue comportar-se como verdadeiro amigo e irmão de qualquer ser humano.

      O cartão de Natal é você, quando a bondade está escrita no gesto de amor, de suas mãos.

      Você será os “votos de Feliz Natal” quando perdoar, restabelecendo de novo, a paz, mesmo a custo de seu próprio sacrifício.

      A ceia de Natal é você, quando sacia de pão e esperança, qualquer carente ao seu lado.

      Você é a noite de Natal quando consciente, humilde, longe de ruídos e de grandes celebrações, em silêncio recebe o Salvador do Mundo.

      Um Feliz Natal a todos que procuram assemelhar-se com esse Natal.




* O Papa Francisco completa neste domingo 81 anos de vida. Da janela do palácio apostólico, ele celebrou a missa de Angelus e acenou para fiéis que o felicitaram da Praça São Pedro, no Vaticano. Dezenas de jovens homenagearam o argentino com placas que, unidas, desejavam feliz aniversário ao líder dos católicos.





quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Novo pensar


Depois de algumas décadas
consegui burlar as comilanças, os presentes,
as correrias em supermercados e shoppings.

Dei um boicote geral no consumismo desenfreado e,
tão somente internalizei e incorporei
vida e a missão de Cristo na Terra.

Ele está no meio de nós!

Que sensação ótima de paz e de prazer transcendental!
Quero o meu Natal diário!
Quero bênçãos!
Quero paz amorosa!
Quero felicidade, hoje e sempre!

Quero preparar o meu espaço celestial aqui e agora.
É o momento – orar e vigiar – por mim e por todos os que me são caros.
Pelo mundo que desagrega, exclui, deteriora, mata...
Quero simples prazeres!
Os mais tocantes. Os que embalam amantes da vida.

Assim, sou eu por muitos natais diários.
Tente e verá como é possível sermos felizes com tão pouco!
Na manjedoura da vida, vive-se melhor que em muitos castelos.


Célia Rangel


domingo, 10 de dezembro de 2017

Apenas... Ele... Nada mais!


Deus sonhou para mim,
e eu não pedi.

Deus colocou-me caminhos,
e eu não pedi.

Deus me fez gente,
e eu não pedi.

Deus me ouviu,
e eu não pedi.

Deus me enxergou,
e eu não pedi.

Deus me carregou no colo,
e eu não pedi.

Em devaneios tive amores,
e eu não pedi.

Então...
Como gente liberto-me da autossuficiência,
ouço e vejo a misericórdia do Criador,
aceito-me em processo de libertação,
e, em infinita experiência amorosa,
aprimoro-me renascendo das minhas misérias...


Célia Rangel



quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Ternuras inférteis  


Esvaziou-se

Tornou-se oco

Em queda livre vertiginosa

Sem som

Sem eco

Precipício dos sonhos

Olha-se

Nada vê

Presume-se

Apenas

Um som rastejante

Era

Já não é mais.


Célia Rangel

domingo, 3 de dezembro de 2017

Dezembro


Para você que faz acontecer.
Que inspira e expira vida.
Que luta até as ultimas consequências.
Que sabe o que quer.
Que vai à luta.
Que semeia hoje o seu dia .
Que colhe sempre sem egoísmo.
Que vê no canto dos passarinhos,
A alegria do viver plenamente.
Que sabe orar, agradecer, e doar:
Ternuras, magia e muito amor.
Feliz dezembro!
Prenúncio de novos e bons tempos!

Célia Rangel.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

...de PESSOA para pessoas...


Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final... Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Fernando Pessoa



quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Canção do dia de sempre


Tão bom viver dia a dia...
A vida assim, jamais cansa...

Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...

E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas...


Mario Quintana


sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Um Poema para Meditação

Gansos selvagens
Mary Oliver
 
Não tens de ser bom.
Não tens de caminhar centenas de quilômetros de joelhos, pelo deserto,
arrependido.
Apenas tens de deixar que o animal suave do teu corpo ame aquilo que ama.
Fala-me de desespero, o teu, e contar-te-ei do meu.
Entretanto, o mundo segue em frente.
O sol e os seixos límpidos da chuva atravessam as paisagens,
as pradarias e as árvores profundas, as montanhas e os rios.
Entretanto, os gansos selvagens, altos no limpo ar azul,
regressam de novo a casa.
Quem quer que sejas e onde estejas, pouco importa quão solitário,
o mundo oferece-se à tua imaginação,
chama-te como os gansos selvagens, com rigor e entusiasmo,
de novo e de novo, a anunciarem o teu lugar
na família das coisas.



segunda-feira, 20 de novembro de 2017

A Foto


Um flash do meu olhar,
Gravou uma foto sua.
Imagem...
Escaneada pela minha íris,
Arquivada em minha mente,
Povoa meus pensamentos,
A todo instante revelo-a.
E no porta- retratos do coração,
Habita terna e eternamente...
O encontro foi cultivado.
O encanto perpetuado.
O amor...
Na aura do mais profundo sentimento.

Célia Rangel







sábado, 11 de novembro de 2017

Tudo é efêmero


A ternura das horas em que pairo nas nuvens
embalam-me, transformando energia em
liberdade e prazer.

Alegrias e sonhos, saudades ou tristezas
converto em energia amorosa,
que o tempo se incumbe em celebrar.

Prezo todos os momentos da vida
onde construo com sensibilidade,
euforia mental com palavras impublicáveis.

É o meu momento de catarse
em que expurgo o mal e o mau
na seleção do bem para mim.

Emudeço, construindo novos pilares,
que me sustentarão nos conflitos,
com ato inaugural meditativo.

Ainda, sob a censura de alguns olhares,
desvencilho-me das hipocrisias,
e vivo solenemente meu catálogo de escolhas.

Simples é a ‘simplicidade’ da vida
e a transformação deverá ser suave e bem dosada,
sem choques de civilização, apenas, o encontro com minha alma.

Célia Rangel


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Machado de Assis


A uma senhora que me pediu versos

Pensa em ti mesma, acharás
Melhor poesia,
Viveza, graça, alegria,
Doçura e paz.

Se já dei flores um dia,
Quando rapaz,
As que ora dou têm assaz
Melancolia.

Uma só das horas tuas
Valem um mês
Das almas já ressequidas.

Os sóis e as luas
Creio bem que Deus os fez
Para outras vidas.




segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Um sorriso


Um sorriso alegre, contagia!
Um sorriso romântico, energiza!
Um sorriso sarcástico, afasta!
Um sorriso confidencial, aproxima!
Um sorriso cúmplice, acaricia!
Um sorriso cínico, enoja!
Um sorriso angelical, acalma!
Um sorriso desaprovador, anula-nos!
Um sorriso solitário, aconchega-nos!
Um sorriso desejoso, plena conivência...
Um sorriso em um sonho, dá sabor à vida...
Um sorriso, livra-nos de naufragarmos em turvas águas...
Saber o sabor de um sorriso... poucos conseguem...


Célia Rangel 

               

sábado, 4 de novembro de 2017

Livro excelente!


“Mulheres que correm com os lobos”
O isolamento como dádiva (pg.: 234)
(Clarissa Pinkola Estés)
Se você tentou se adaptar a qualquer tipo de forma e não conseguiu, talvez você tenha muita sorte. É verdade que você pode ser um exilado de alguma espécie, mas sua alma está abrigada. Ocorre um estranho fenômeno quando a pessoa tenta se adequar e não consegue. Muito embora a criatura diferente seja rejeitada, ela ao mesmo tempo é empurrada para os braços dos seus verdadeiros companheiros psíquicos, quer se trate de uma linha de estudo, de uma forma de arte, quer de um grupo de pessoas. É pior ficar ali onde não nos sentimos bem do que vaguear perdida por um período em busca da afinidade psíquica e profunda de que precisamos. Nunca é errado ir à procura do que necessitamos. Nunca mesmo.
Há algo de útil em toda essa torção e tensão. Algo no patinho está sendo temperado, está sendo reforçado por esse isolamento. Embora essa situação não seja algo que se deseje a ninguém por nenhum motivo, seu efeito é semelhante ao da produção de diamantes pela pressão aplicada ao carbono puro — ela acaba levando a uma profunda amplidão e clareza na psique.
Existe um aspecto da alquimia no qual a substância bruta do chumbo é golpeada e martelada. Embora o isolamento não seja algo que se deseje por ser divertido, provém dele um ganho inesperado. As dádivas do isolamento são inúmeras. Ele elimina a fraqueza com os golpes. Ele erradica as lamentações, proporciona um insight penetrante, aguça a intuição, assegura o poder incisivo de observação e de visão de perspectiva jamais alcançados pelas pessoas "aceitas".
Apesar de ter seus aspectos negativos, a psique selvagem consegue resistir ao isolamento. Ele faz com que tenhamos um anseio ainda maior no sentido de liberar nossa própria natureza verdadeira, e provoca em nós um desejo intenso por uma cultura que combine com essa natureza. Só esse anseio, esse desejo já faz a pessoa prosseguir. Ele faz com que a mulher continue a procurar. E, se não consegue encontrar a cultura que a estimule, geralmente ela resolve criar, ela mesma, essa cultura. Isso é bom, pois, se ela a criar, outras que vinham procurando há muito tempo chegarão misteriosamente um dia, proclamando com entusiasmo o fato de estarem procurando por ela o tempo todo.



quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Esvaziando sentimentos


Longínquo o olhar...
Lágrimas.
Inocência a provar...

Palavras entrecortadas.
Trêmulas,
Mãos acariciantes...

Respiração ofegante,
Dúvidas,
Crateras no coração.

No abraço,
Denúncia...
Da mansidão do amar.

Plainar na ansiedade,
E, na maturidade,
Aterrissar o voo.

Célia Rangel


segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Cecília Meireles, a poeta!


Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.

Cecília Meireles




quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Cérebro em acústico


Há uma incrível confiança na liberdade em que se adquire para se recolher em uma solidão construída no amor e, pacificada a cada momento.

Nada é tão supremo como esse encontro marcado com Deus e almas, com uma função vital tão marcante, que chega a sufocar pensamentos e amores.

Vive-se e as marcas replicam-se no físico e no espírito. Aceita-se todas pois, fazem parte do existir plenamente e, não apenas, ver o tempo passar...

Tédio? Impossível, quando ainda se sonha e se realiza sem submissão alguma, apenas, preenchendo vazios com atitudes férteis...

Perdoar é necessário e também, ser perdoado, mas sem esquecer causa e efeito submersos nas entranhas. É da sabedoria e vaidade humanas.

Gratidão infinita quando se abraça a graça de mais um tempo de vida a ser amada, vivida, contemplada na beleza do Ser...

Não é vida que segue, mas sim, vida que se celebra!

Célia Rangel, celebrando seus 72.

domingo, 22 de outubro de 2017

Canção do dia de sempre

Tão bom viver dia a dia...
A vida assim, jamais cansa...

Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...

E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas...


Mário Quintana


sábado, 21 de outubro de 2017

É preciso repensar...


ESCOLA: TEMPO E ESPAÇO DE AMIZADE

Lauro Daros

            Sobre amizade, superficial é criar poemas e canções. O próprio ato da amizade é a melhor arte. É simples observar quantos gestos, pequeníssimos e grandiosos, se praticam no cotidiano. Não é necessário se declarar amigo: basta agir como amigo.  

            A escola é campo fértil para sementes de amigos, onde se reúnem e convivem gerações: crianças, adolescentes, pais, avós, educadores. A escola é período áureo para encontros belos e profundos para toda a vida.

 Se a realidade é deserta, a escola é oásis que se amplia e transpõe fronteiras. As ternas e eternas amizades, em geral, iniciam-se na escola. Não há ninguém que não mantenha guardadas no coração pessoas especiais da época escolar.

O amigo autêntico conhece bem o dom da gratuidade. A amizade pura é nobre e não precisa trazer lucros materiais e afetivos. Essas vantagens podem até acontecer, mas naturalmente, como efeito, não como causa. Eis a maravilha da amizade!

Chantagens emocionais e segundas intenções, por isso, não cabem entre amigos. As chantagens e as segundas intenções escravizam e descartam. Reduzem o sujeito a objeto manipulável, em vez de reconhecê-lo imagem e semelhança de Deus.

Para que a escola seja celeiro de amizades legítimas, há de ir além do horizonte racional. Outras dimensões devem compor a paisagem escolar: ética, espiritualidade, sociabilidade. Esses valores combatem o individualismo e a competição nociva.

Amigos sempre desejam o bem para si e para os demais. Não é o bastante ser bom um para o outro. A bondade dos amigos se amplia e contagia os ambientes dos quais fazem parte: a família, a escola, a igreja, o clube, o trabalho.

A alegria dos amigos também não se represa. Assim como a bondade, a alegria transforma a existência e a vida. Quem é capaz de ser amigo real possui bons amigos e percebe o mundo um cenário feliz. A alegria é magia que toca e converte.

Sinceridade e transparência purificam a amizade e promovem crescimento. O amigo não permite que o outro se afunde em erros; por isso é transparente ao abrir-lhe os olhos e sincero ao mostrar-lhe os perigos de seu jeito de ser.  Isso é magnífico!

Quando se harmonizam, a palavra e o silêncio são ouro. O silêncio é cômodo e a palavra não é incômoda. O amigo não aborrece: sabe quando se afastar e quando se aproximar; sabe quando calar e quando falar.

Se imensa é a tarefa da escola para com o conhecimento, essencial é sua missão para com as relações sociais. A escola sempre será vital para se aprender a amar as diferenças e a fazer amigos.

A escola, ao favorecer múltiplos momentos para que corações se aproximem e estabeleçam experiências amáveis de vida, está cultivando multiplicadores de amizades para além do espaço e do tempo escolar. Está educando bons cidadãos. Eis divina arte!


                                                                                      

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Humildade ao envelhecer


Abra espaço para corpos jovens
Não adianta ter mente jovem se o seu corpo não mais acompanha...
Partilhe a sabedoria e o conhecimento adquiridos
Assuma sua mediocridade,
Submeta-se sempre às novas aprendizagens e tecnologias...
Isso rejuvenesce!
Não comparar com o que você foi... ou fez...
Ou o cansativo chavão: “no meu tempo não era assim...”
Isso envelhece!
O seu tempo agora é outro...
Autenticidade e simplicidade em ser o que você é...
Aprenda a perdoar e a pedir o perdão...
Isso é inteligência!
Abra suas mãos e seu coração...  
Nascemos de mãos fechadas.
Morremos com as mãos espalmadas.
Saiba doar e receber...
Pratique a gratuidade em tudo!
Nossa vida é fugaz... passagem meteórica...
Tudo se esvai!
Fica o amor vivido... sofrido... gozado... amado realmente...
Ficam momentos de felicidade... eternas lembranças
Delicie-se com as boas sementes deixadas!
Amargura, decepções, apague não vale a pena, preze sua pressão arterial...
Mantenha sempre sua mente no azul das emoções!
Sonhe... viaje ao infinito...
Seu pensamento é o único lugar onde você é realmente livre...
Usufrua! Delegue! Esqueça! Viva! Ame! E deixe viver....


Célia Rangel




domingo, 15 de outubro de 2017

Ao Professor/a - Educador/a...


Oração do Professor

Dai-me, Senhor, o dom de ensinar,
Dai-me esta graça que vem do amor.
Mas, antes do ensinar, Senhor,
Dai-me o dom de aprender.
Aprender a ensinar
Aprender o amor de ensinar.
Que o meu ensinar seja simples,
humano e alegre, como o amor.
De aprender sempre.
Que eu persevere mais no aprender do que no ensinar.
Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilhe
Que o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade.
Que meus conhecimentos não produzam orgulho,
Mas cresçam e se abasteçam da humildade.
Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas,
Mas animem as faces de quem procura a luz.
Que a minha voz nunca assuste,
Mas seja a pregação da esperança.
Que eu aprenda que quem não me entende
Precisa ainda mais de mim,
E que nunca lhe destine a presunção de ser melhor.
Dai-me, Senhor, também a sabedoria do desaprender,
Para que eu possa trazer o novo, a esperança,
E não ser um perpetuador das desilusões.
Dai-me, Senhor, a sabedoria do aprender
Deixai-me ensinar para distribuir a sabedoria do amor.

 Autor: Antonio Pedro Schlindwein




quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Homenagem


   As cores vibrantes, marca do artista plástico pernambucano Romero Britto, deram cor e novos traços à imagem de Nossa Senhora Aparecida. Ele pintou um quadro em homenagem ao jubileu da padroeira e doou a obra para o Santuário Nacional.

Ele fez a pintura a pedido da Rede Vanguarda, que convidou oito artistas brasileiros a retratarem Aparecida nos 300 anos do encontro da imagem no rio Paraíba do Sul.

     Além de Romero Britto, o cartunista Maurício de Sousa e o escultor Gilmar Pina, também participam da exposição 'Olhares'. As telas e esculturas estão desde o último domingo (8) no subsolo da basílica.

    Romero pintou o quadro em seu ateliê, em Orlando, na Flórida (EUA), e no trabalho, usou as cores da bandeira do Brasil. Ele contou que foi a primeira vez que pintou um retrato de Aparecida.

https://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/aparecida-300-anos/2017/noticia/romero-britto-pinta-quadro-para-homenagear-300-anos-de-nossa-senhora-aparecida.ghtml

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Sou...


Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar.
E se me achar esquisita, respeite também.
Até eu fui obrigada a me respeitar.

Clarice Lispector


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Dia Mundial da Saúde Mental

10 de outubro – Dia Mundial da Saúde Mental


Hoje é o Dia Mundial da Saúde Mental. Uma vez que, em algumas pessoas afetadas por uma doença física, uma perturbação mental não só aumenta o grau de sofrimento como as tornam menos capazes de manter um tratamento.

É evidente que, ao tratar uma doença, obteremos melhores resultados considerando o indivíduo como um todo, em vez de cuidarmos apenas de partes desse todo. Este fato requer que os que prestam cuidados de saúde - mental e física - trabalhem conjuntamente, concentrando as suas responsabilidades e pontos fortes individuais numa ação de cooperação.

Neste Dia Internacional de Saúde Mental, assumamos o compromisso de tratar as pessoas e não apenas algumas partes delas.

Leia mais em:
http://www.cepad.ufes.br/conteudo/10-de-outubro-%E2%80%93-dia-mundial-da-sa%C3%BAde-mental

sábado, 7 de outubro de 2017

PONDERAÇÕES


Está difícil ‘poetar’ com todos esses acontecimentos subumanos...

Dia das Crianças?

- matam de todas as formas... 
- queimam...
- estupram... 
- drogam-nas 
- Amor? 
- Sente-se pouco.

Dia do Professor?

- eterno anônimo...
- carrega o nome da empresa...
- é ameaçado pelo sistema social...
- é aviltado pelo sistema econômico...
- e quando é vocacionado, doa sua vida.
- Valorização?
- Inexistente.

Momento de introspecção na busca de soluções sociais que dependem essencialmente de nós, mulheres, que geramos nossas crianças e que, em sua maioria somos educadoras em nosso lar ou em nossas escolas.

Dedico tais ponderações a Janaúba, cidade até então inexpressiva no noticiário em geral, e que marca sua presença em forma de luto; às crianças-mártires e à professora  Helley, heroína, que perde sua vida salvando crianças...

Diz Papa Francisco: "Temos que ver cada criança como um presente a ser acolhido, amado e protegido".


Célia Rangel

Lírio da Paz